Coronavírus: Como diminuir a perda de clientes do escritório contábil?

Publicado por Tiago Nogueira em

 

Coronavírus: Como diminuir a perda de clientes?

O desafio de manter clientes na carteira do escritório contábil nesse cenário de coronavírus depende da sua forma de se fazer presente com os clientes. Oferecer BPO financeiro e digitalizar a empresa são posicionamentos ideais neste momento.

Todos os setores sentem na pele a crise econômica resultante do coronavírus e, consequentemente, a perda de clientes. Na China, a palavra “crise” vem da junção das palavras “perigo” e “oportunidade”. Isso também se aplica à contabilidade, que pode usar de recursos tecnológicos e gatilhos mentais para reter clientes.

Neste momento de pandemia, o comportamento da maioria dos empresários é influenciada pelo gatilho do medo. O gatilho do medo é movido pela parte cerebral mais primitiva que temos, levada pelos extintos e questões de sobrevivência.

Cortes grandes tem sido feito sem se pensar em proporções. A contabilidade não é o “core business” do empreendimento de comércios, do setor de eventos, do ramo alimentício, nem do turismo. Por isso muitos recorrem a contabilidades mais baratas ou migram para a contabilidade online.

No marketing esse comportamento é alvo de estudo e é chamado de substituição de consumo. Quer um exemplo? A pessoa que tinha o hábito de comprar biscoitos recheados de uma marca mais cara, não deixa de comer biscoitos, mesmo em período de crise. Ela só troca por uma marca mais barata.

É uma movimentação inevitável e é por isso que o contador que agir de maneira mais estratégica vai conseguir fazer a manutenção da clientela. É preciso se fazer presente, demonstrar ao cliente de que há interesse pelos interesses dele.

Momento de desafio

O desafio nesta pandemia será vencido pela forma como o contador se faz presente. O momento não permite ir até o cliente, logo a saída será a tecnologia. Escritórios grandes antes do coronavírus já não conseguiam se fazer presente com todos os clientes indo ao encontro. Eles recorrem a ferramentas como WhatsApp.

Um das táticas é criar um grupo de WhatsApp cujos integrantes são: o novo cliente, os sócios da empresa atendida e o contador consultor. Esse será o espaço para se concentrar todas as informações referentes ao serviço e questões cotidianas que forem surgindo.

Entre as vantagens da ferramenta é que ela dispõe de áudio, vídeo, é possível enviar links. E todos os sócios, de maneira simultânea tem acesso a mesma informação, sem ruídos.

O ato de se apostar em áudio, videochamadas, envio de vídeos ativa também aquela parte mais irracional do cérebro citado em parágrafos anteriores.

Essa parte cerebral necessita de provas para mostrar que não está em perigo, que a situação é amigável, que a pessoa é de confiança, é do mesmo clã. Só o fato de uma pessoa estar vendo a outra essa ponte é criada.

A pergunta que tem de ser feita para um contador atualizado é: Já entrou em contato com o seu cliente? Se a resposta for “não”, o risco desse profissional não estar sendo visto como uma despesa, um fardo caro a ser substituído por algo mais em conta é grande.

O contato, de preferência por ligação ou videochamada, tem de ser feito pelo menos uma vez por mês e pode começar com um simples: “Olá, meu cliente. Tudo bom? Como foram as vendas?”.

Se a vertente do escritório contábil é a consultoria, é importante que esse contador consultor esteja inteirado de como andam as coisas na empresa. Usar esse momento de ligação para poder tocar em assuntos nas quais esse cliente desejava mudança.

A partir daí, o contador consultor pode ajudá-lo com gestão financeira, análise de fluxo de caixa, realizar demonstrações contábeis, gestão estratégica, com revisão tributária ou ainda assumir o financeiro da empresa desse empreendedor, o BPO Financeiro (Business Processing Outsourcing).

Esse é um posicionamento que fará com que ele entenda que tem um aliado ao lado. É imprescindível que o contador também reforce ser esse parceiro que, apesar de ser um gasto, é o único que pode ajudá-lo a equilibrar e diminuir outros gastos. Principalmente em momentos vulneráveis como esse de crise.

Momento de desafio

O desafio nesta pandemia será vencido pela forma como o contador se faz presente. O momento não permite ir até o cliente, logo a saída será a tecnologia. Escritórios grandes antes do coronavírus já não conseguiam se fazer presente com todos os clientes indo ao encontro. Eles recorrem a ferramentas como WhatsApp.

Um das táticas é criar um grupo de WhatsApp cujos integrantes são: o novo cliente, os sócios da empresa atendida e o contador consultor. Esse será o espaço para se concentrar todas as informações referentes ao serviço e questões cotidianas que forem surgindo.

Entre as vantagens da ferramenta é que ela dispõe de áudio, vídeo, é possível enviar links. E todos os sócios, de maneira simultânea tem acesso a mesma informação, sem ruídos.

O ato de se apostar em áudio, videochamadas, envio de vídeos ativa também aquela parte mais irracional do cérebro citado em parágrafos anteriores.

Essa parte cerebral necessita de provas para mostrar que não está em perigo, que a situação é amigável, que a pessoa é de confiança, é do mesmo clã. Só o fato de uma pessoa estar vendo a outra essa ponte é criada.

A pergunta que tem de ser feita para um contador atualizado é: Já entrou em contato com o seu cliente? Se a resposta for “não”, o risco desse profissional não estar sendo visto como uma despesa, um fardo caro a ser substituído por algo mais em conta é grande.

O contato, de preferência por ligação ou videochamada, tem de ser feito pelo menos uma vez por mês e pode começar com um simples: “Olá, meu cliente. Tudo bom? Como foram as vendas?”.

Se a vertente do escritório contábil é a consultoria, é importante que esse contador consultor esteja inteirado de como andam as coisas na empresa. Usar esse momento de ligação para poder tocar em assuntos nas quais esse cliente desejava mudança.

A partir daí, o contador consultor pode ajudá-lo com gestão financeira, análise de fluxo de caixa, realizar demonstrações contábeis, gestão estratégica, com revisão tributária ou ainda assumir o financeiro da empresa desse empreendedor, o BPO Financeiro (Business Processing Outsourcing).

Esse é um posicionamento que fará com que ele entenda que tem um aliado ao lado. É imprescindível que o contador também reforce ser esse parceiro que, apesar de ser um gasto, é o único que pode ajudá-lo a equilibrar e diminuir outros gastos. Principalmente em momentos vulneráveis como esse de crise.

Sua empresa já é digitalizada?

Outro posicionamento importante do contador assumir neste momento é de digitalizar os procedimentos internos. Já foi declarado que o papel é um vetor de transmissão do coronavírus e o contato físico tem de ser evitado.

Ao adotar o hábito de manipular documentos de forma digital, se otimiza muito o processamento das atividades internas da contabilidade. Não vai existir mais aquela questão do cliente perder tempo separando documento para o contador.

Para o contador que atua na terceirização do financeiro do cliente, o BPO financeiro, fica bem mais ágil a importação dos documentos digitalizados para o sistema próprio da empresa contábil.

A crise do coronavírus reforça a necessidade de dar atenção e assistência ao cliente para fazer com que ele permaneça. Além disso, para não comprometer a saúde do negócio contábil a conquista de clientes deve continuar.

Vender conformidade não fará com que um empresário que está em contenção de despesas e pensando como sobreviver contrate um contador pagando mais, por exemplo. É o ato de trazer conteúdos relevantes e personalizados para o empresário e insights, que não necessariamente se limitam à contabilidade, que farão prospectos tornarem-se clientes.

Lembre-se: O coronavírus que vai impedir com que contadores não captem mais cliente. A capacidade de vender os próprios serviços é quem vai determinar.

Fonte: Contábeis

Comentários
Categorias: Informativos