Plantando igrejas e amando as pessoas

Por Steve Jennings

Uma vez perguntei a um pastor experiente: “Que conselho você daria a um pastor iniciante sobre a plantação de uma igreja?”.

Sua resposta? “Antes de fazer qualquer outra coisa, certifique-se de que o seu povo saiba que você o ama”.

O que o amor não é

Às vezes, para entender o que significa amar nosso povo, precisamos entender o que isso não significa. Não se trata de sempre dizer-lhes o que eles desejam ouvir, ou ser um bajulador de pessoas, ou mesmo tentar fazê-los amar você de volta, não importa o que for preciso para alcançá-lo.

Na verdade, amar o nosso povo não diz respeito a nós. Antes, amar o seu povo significa mostrar-lhes o quão queridos eles são para você ao alimentá-los bondosa e sacrificialmente com o alimento do evangelho, tanto para o bem eterno deles quanto para a glória de Deus. Considerando a analogia de Paulo em 1 Tessalonicenses 2, isso significa buscar o bem deles às suas custas, o florescimento deles acima do seu reconhecimento — como uma mãe. Você os ama porque eles são queridos para você, tendo sido colocados sob seus cuidados por Deus.

Objetivando o amor

Assim, desde o primeiro dia, busquei fazer deste o meu objetivo. Na maioria das vezes, falhei miseravelmente. Mas, pela graça de Deus, também vi alguns frutos.

Nos primeiros dias de nossa igreja, esforçar-me para assegurar que eu amava o meu povo e que eles soubessem disso significava ao menos quatro coisas:

1. Desacordo com unidade

Minha cidade é diversificada, e não há muitas opções quanto à igreja, o que significa que uma grande variedade de pessoas vem até nós. Houve momentos em que as pessoas vieram e discordaram de uma variedade de pontos práticos e/ou doutrinários terciários, mas ficaram e ouviram porque sentiram profundamente que eram amados.

2. Aceitação de palavras difíceis

Quando as pessoas estão confiantes de que são amadas, elas ficam muito mais preparadas para receber uma repreensão. Por outro lado, também experimentei o que acontece quando não se estabelece o fundamento do amor para depois confrontar o pecado. A diferença é surpreendente.

3. Transcendência de barreiras culturais

Minha igreja é muito diversificada culturalmente. Cuidar das pessoas através de um sacrifício simples e consistente significa que muitas barreiras culturais, como costumes relativos à hospitalidade e estruturas litúrgicas, são superadas com o tempo. Temos tido pessoas de diferentes países que tiveram dificuldade em questões como a nossa música ou estilo de pregação, mas elas permaneceram porque sentiram que eram lideradas por pastores que cuidavam delas de modo genuíno.

4. Compreensão das imperfeições pastorais

Estabelecer o fundamento do amor tem significado muita paciência com minha própria imaturidade e falhas como pastor. E nós, pastores, como companheiros pecadores, precisamos muito disso. Nosso povo precisa de um contexto para entender as nossas deficiências. Eles precisam saber que somos imperfeitos e que confiamos em Cristo como a nossa única esperança — assim como nós os exortamos a fazer.

Como buscar o amor

Novamente, antes que possamos mostrar ao nosso povo que o amamos, devemos realmente amá-lo. E se somos honestos, isso pode ser difícil, e nem sempre é algo que ocorre automaticamente.

Então, como nós o buscamos? Algumas ideias:

1. Ore diariamente para que o seu coração seja cheio de amor por eles e depois ore por pessoas específicas.

Tenha o hábito de orar todos os dias: “Senhor, ajuda-me a amar mais a ti, a minha família e o teu povo”. Tenha uma prática de orar por cada pessoa nominalmente, bem como orar por todo o rol de membros.

2. Mergulhe no evangelho.

1 João e Efésios 5 nos mostram a fonte do nosso amor pelo nosso povo: um conhecimento profundo do amor de Deus expresso na morte de Cristo por nós. A fonte do nosso amor pelo nosso povo deve ser o evangelho. Caso contrário, seremos inconstantes e nosso amor será direcionado para as finalidades erradas.

3. Passe algum tempo com eles.

O amor é cultivado por meio da comunhão. Para se mover do amor como uma ideia para o amor como uma realidade, deve haver o cultivo de um relacionamento.

Comunicando o amor

Por fim, como comunicamos o amor ao nosso povo? Antes de tudo, como podemos assegurar que eles saibam que os amamos?

1. Demonstre hospitalidade passando tempo com eles.

Como Paulo e os tessalonicenses, deve ficar claro que não apenas pregamos a eles, mas que também compartilhamos as nossas vidas com eles.

A hospitalidade tanto faz crescer quanto demonstra o nosso amor por eles. É importante estabelecer um cronograma de visitas pastorais e fazer perguntas que mostrem que eles são importantes. É neste contexto que as pequenas coisas se tornam relevantes — lembrar de aniversários, conhecer as dificuldades e doenças, mostrar uma apreciação pelas coisas que eles gostam — muito semelhante a como uma mãe faria com o seu filho.

Durante esses momentos, compartilhe com eles a verdade da Escritura e encorajamentos e admoestações gentis que se relacionem com as suas preocupações atuais na vida. Ou apenas ouça-os falar. Observe o que está preocupando-os, no que eles estão se regozijando e lembre-se disso enquanto ora por eles.

2. Ouça bem as queixas e críticas.

Quando aquelas primeiras palavras difíceis chegarem até você — e elas chegarão — ouça-as com uma tranquilidade que esteja enraizada em sua posição em Cristo. Não responda imediatamente às críticas; antes, ouça as pessoas e seja muito, muito rápido em admitir as suas próprias falhas. Perceba que Deus também usa as críticas para a sua santificação.

Todas as críticas que já escutei ofereceram algo que eu precisava ouvir. É nesses momentos difíceis que o seu amor por eles pode se tornar mais visível e transformador.

3. Ore com eles.

O ministério pastoral pode ser assustador. Há muitos momentos em que nos preocupamos, mas simplesmente não sabemos o que dizer. Felizmente, não importa a situação, sempre podemos orar. A oração sincera com o seu povo é talvez a ferramenta mais poderosa para expressar o seu amor, ao mesmo tempo em que os aponta para aquele único que os ama perfeitamente.

4. Pregue de modo que você os ame.

Você exibirá o seu amor por seu povo através de uma pregação cuidadosa, informada por meio dos relacionamentos e plenamente evangélica. Se você mostra a eles fora do púlpito que se importa com eles, então o seu ministério de exposição florescerá no contexto do relacionamento. E isso é poderoso. Quando eles ouvem e veem você pregar, eles veem um homem que se dedica a um trabalho de amor? Eles deveriam.

Conclusão

Olhando as palavras de Jesus a Pedro após a ressurreição, lembramos que a forma como expressamos o nosso amor pelo nosso Salvador é através do nosso amor pelo seu povo. Então, ao estabelecer o fundamento para uma nova plantação ou revitalização, realmente não há melhor conselho do que este: “Antes de fazer qualquer outra coisa, certifique-se de que o seu povo saiba que você o ama”.

Como Pedro, que havia recentemente experimentado o amor de seu Mestre, deixemos o amor de Cristo nos controlar, de tal forma que consideremos o povo sob nossa responsabilidade de maneira especial. Que nós os amemos como membros do corpo do Salvador que amamos, e que por amá-lo, nós os amemos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *