CALVINO – O RESULTADO DA GRAÇA

Introdução

Nós começamos domingo passado uma série de mensagens comemorativa sobre os 500 anos da Reforma Protestante. O que foi a Reforma Protestante?

A Reforma Protestante Um movimento que começou com um padre católico chamado Martinho Lutero, que no dia 31 de outubro de 1517 fixou 95 teses (ou uma chamada para um debate) na Catedral de Wittenberg. A Igreja Católica passou a conceder o perdão mediante contribuições financeiras. Lutero considerava que isso era venda do perdão, o qual só poderia ser concedido por Deus diante do arrependimento e da fé. Eram curtas, as teses de Lutero, mas profundas. Como a de número 76: ‘As indulgências papais não podem anular sequer o menor dos pecados veniais. ’ Foi o começo do fim de uma era.

Um dos lemas da Reforma Protestante era “igreja reformada, sempre se reformando”, ou seja, nós temos que estar sempre nos reformando, sempre nos examinando. Procure reformar sua vida dia a dia. Se reconhecemos a bíblia como verdade absoluta, adotemos ela como parâmetro para todas as nossas atitudes, nossos conceitos. Reformar-se deve ser um ato diário e baseado em tudo o que a bíblia nos manda, pois o conhecimento das escrituras e a graça de Deus nos guardam de pecar. Seu casamento é reformado? Seus relacionamentos são reformados? Em sua profissão, você é reformado? Na criação de seus filhos, você é reformado? Em sua igreja, você é reformado?

Reformar nada mais é do que voltar ao evangelho, deixar suas práticas erradas e aderir os propósitos de Deus! É preciso ter humildade para negar o velho homem todos os dias e agarrar-se no evangelho da cruz. Façamos como Paulo adverte aos coríntios no momento da santa ceia, “examine-se o homem a si mesmo“.

Hoje nós vamos chamar para conversar conosco, um dos reformadores, mais influentes, aquele que sistematizou os princípios da Reforma Protestante, João Calvino.

Quem foi João Calvino ? Calvino nasceu em 1509, na França, seu pai foi um oficial da igreja católica e sua mãe era de uma família hoteleira e influente na sociedade. Seus pais consagram ele e seu irmão para o sacerdócio. Calvino se converteu ao protestantismo em 1533 e foi morar em Genebra, Suíça, por causa da sua fé. Causou um forte impacto sobre as doutrinas fundamentais do protestantismo, e é amplamente creditado como a figura mais importante na segunda geração da Reforma Protestante. Ele morreu em Genebra, Suíça, em 1564.

Calvino tem uma particularidade com o Brasil, em 1557, Calvino enviou, para o Brasil, que havia sido descoberto a pouco tempo, 14 missionários franceses. O pequeno grupo desembarcou no Rio de Janeiro no dia 10 de março de 1557, ocasião em que foi realizado o primeiro culto protestante no Brasil e nas Américas. Alguns desses missionários foram acusados de serem traidores, eles acabaram escrevendo, o que chamamos de “Confissão de Fé Guanabara”, que é a primeira confissão de fé no período pós-Reforma.

Um dos temas mais falados sobre Calvino é o tema da graça. A maneira como Calvino entendia, interpretava e pregava sobre a graça.

O que é graça? Graça é a palavra grega que quer dizer charis, que significa presente imerecido, algo que nós ganhamos, mesmo quando não merecemos.

Abra sua bíblia no livro de Tito 3.1-8

Lembre a todos que se sujeitem ao governo e às autoridades. Devem ser obedientes e sempre prontos a fazer o que é bom. Não devem caluniar ninguém, mas evitar brigas. Que sejam amáveis e mostrem a todos verdadeira humildade.

Em outros tempos, também éramos insensatos e desobedientes. Vivíamos no engano e nos tornamos escravos de muitas paixões e prazeres. Éramos cheios de maldade e inveja e odiávamos uns aos outros.

Mas,

Quando Deus, nosso Salvador, revelou sua bondade e seu amor, ele nos salvou não porque tivéssemos feito algo justo, mas por causa de sua misericórdia. Ele nos lavou para remover nossos pecados, nos fez nascer de novo e nos deu nova vida por meio do Espírito Santo. Generosamente, derramou o Espírito sobre nós por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador. Por causa de sua graça, nos declarou justos e nos deu a esperança de que herdaremos a vida eterna.

Essa é uma afirmação digna de confiança, e quero que você insista nesses ensinamentos, para que todos os que creem em Deus se dediquem a fazer o bem. São ensinamentos bons e benéficos para todos.”

Essa semana ficamos chocados com o atentado que vimos nos EUA. Um atirador, com várias armas, no alto de um prédio matou quase 60 pessoas e feriou mais de 500 pessoas. Mas isso é longe do Brasil. Quinta-feira, faltando uma semana para o dia das crianças, um vigia de uma creche no norte de MG coloca fogo em várias crianças, 5 morreram. Segundo dados do Fórum Econômico Mundial o Brasil é o 4º pais mais corrupto do mundo. Só pra você ter uma ideia, segundo o FMI, de toda a riqueza produzida no Brasil, cerca de 3% é desviado para a corrupção, o que equivale, anualmente, a cerca de R$ 69 bilhões.

A maldade está em todos os lugares, desde países mais ricos até os mais pobres. Nós podemos falar que o problema é a falta de investimento na educação, na saúde, em estruturas mínimas sociais para o desenvolvimento do ser humano, mas vemos, que mesmo em países desenvolvidos, a maldade está presente. Em Tito, Paulo fala no versículo 3 o caráter e a conduta de homens e mulheres que não foram alcançados pelo Evangelho

Em outros tempos, também éramos insensatos e desobedientes. Vivíamos no engano e nos tornamos escravos de muitas paixões e prazeres. Éramos cheios de maldade e inveja e odiávamos uns aos outros.

O resultado do homem sem a graça é esse! O homem e a mulher que deixa ser dominado pelos desejos do mal, pelas paixões. Paulo qualifica aqui os adjetivos das pessoas que ainda não conhecem a Deus, pessoas que não experimentaram o sabor de uma nova vida, transformada pela salvação em Cristo Jesus. Homens e mulheres, são escravizados pelos desejos, pelas paixões, pelos vícios, pela maldade, pela inveja, pelo ódio.

Nosso coração além de tolo é rebelde e desobediente. Nossa inclinação é voltada para o mal. Basta olhar os nossos filhos, nós nos dedicamos a ensinar o que é correto, mas a maldade, isso eles não aprendem, é “defeito de fabricação”.

Sobre esse versículo, William Hendriksen diz que “inveja” é olhar com má disposição a outra pessoa devido ao que ela é ou ao que ela tem. A pessoa invejosa sente um profundo desprazer ao ver a felicidade e a prosperidade do outro. Foi exatamente a inveja que induziu Caim a assassinar seu irmão Abel. Foi a inveja que lançou José na cisterna e fez Coré, Datã e Abirão se rebelar contra Moisés e Arão. Foi a inveja que induziu Saul a perseguir Davi e fez os sacerdotes e escribas crucificarem Jesus.

Vivemos em um tempo de crise moral, crise ética, crise espiritual. Tempo onde homens e mulheres são dominados pela mal.

Um grande pregador do século 18, George Whitefield, quando viu alguém caído na sarjeta disse: “Ali estaria eu, se não não fosse a graça de Deus”. Nós não encontramos Deus, nós fomos encontrados por ele. Nós não amávamos a Deus, mas fomos amados por ele. Nós não salvamos a nós mesmos, mas fomos salvos por ele. Se Deus não tivesse colocado seu coração em nós, estaríamos arruinados. Paulo aqui faz um diagnóstico sombrio da nossa condição antes de sermos salvos.

É por isso que esse versículo sempre tem como sujeito o pronome “nós”. Nós somos assim, talvez nunca pegamos numa arma, talvez nunca ateamos fogo em alguém, talvez nunca praticamos uma corrupção, mas esse princípio está dentro de nós, por mais que nossa aparência seja boa, por mais que tenhamos uma atitude correta.

É como a história do omelete. Eu gosto de fazer omelete usando 3 ou 4 ovos, se o último for um ovo estragado, todo o restante está comprometido.

Mas o versículo 4 tem um palavra, uma conjunção que indica uma oposição das ideias, uma mudança no rumo, o versículo 4 começa com a conjunção “mas”.

Qual é a mudança? A mudança é quando Deus, nosso salvador, revelou sua bondade, seu amor. ele nos salvou não porque tivéssemos feito algo justo, mas por causa de sua misericórdia. Ele nos lavou para remover nossos pecados, nos fez nascer de novo e nos deu nova vida por meio do Espírito Santo. Generosamente, derramou o Espírito sobre nós por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador. Por causa de sua graça, nos declarou justos e nos deu a esperança de que herdaremos a vida eterna.

Deus é quem toma a iniciativa. Deus é quem se move em nossa direção. A salvação é obra de Deus. A salvação é um presente que Deus nos oferece, isso é a graça. A salvação ela tem o começo não em nosso coração, mas no coração amoroso de Deus. A bondade, o amor de Deus são a fonte e a origem da nossa salvação. A bondade e o amor de Deus são evidenciados por toda a vida de Jesus. Seu nascimento, sua morte e sua ressurreição. No versículo 5 Paulo fala da misericórdia de Deus e no versículo 7 ele fala que a graça nos justifica, Paulo nos apresenta 4 palavras que são a base de sustentação da nossa salvação: bondade, amor, misericórdia e graça.

A base da nossa salvação é a morte de Cristo. Cristo morreu em nosso lugar e em nosso favor. Cristo pagou a nossa dívida, Cristo morreu a nossa morte, Cristo nos declarou justos, sem pecado, sem culpa

O versículo 5 nos diz: “Ele nos lavou para remover nossos pecados, nos fez nascer de novo e nos deu nova vida por meio do Espírito Santo.

A palavra grega “paliggenesia” significa “regeneração, novo nascimento” Pela justificação Deus nos transforma em pessoas justas. A justificação acontece fora de nós, ela acontece no tribunal de Deus. Mas ela também acontece dentro de nós, em nossos corações.

Pela regeneração somos transformados, somos chamados de filhos de Deus, pela regeneração, tornamo-nos novas pessoas, novas criaturas. Pela regeneração recebemos um novo coração, uma nova vida, um novo nome, uma nova família. Pela regeneração nascemos de novo, de Deus, do alto, do Espírito.

Essa regeneração ela não começa no batismo, mas o batismo evidência isso. A regeneração é um ato, uma confissão pública, e é um processo que dura a vida toda.

O propósito da salvação de Deus é que Deus seja glorificado. Éramos escravos das paixões, mas agora somos filhos de Deus, herdeiros. Fomos salvos da condenação do pecado na justificação, Somos salvos do poder do pecado na santificação e seremos salvos da presença do pecado na glorificação.

Conclusão

Eugene Peterson, sobre esse texto, escreveu:

Até pouco tempo, éramos tolos e teimosos, enganados pelo pecado, dominados pelos instintos, andando sem destino e cabisbaixos, odiando e sendo odiados. Mas, quando Deus, nosso Salvador bondoso e amoroso, interferiu, ele nos salvou de tudo isso. Tudo foi obra dele: nós não fizemos nada. Ele nos limpou, e saímos daquela situação como um povo especial, purificados por dentro e por fora pelo Espírito Santo. Nosso Salvador Jesus generosamente nos deu nova vida. O dom de Deus restaurou nosso relacionamento com ele e nos devolveu a vida. E ainda há mais vida por vir — uma eternidade de vida! Podem contar com isso.

Igreja Reformada, sempre se Reformando. Tudo é obra dele, nós não fizemos nada. Tudo foi iniciativa dele, nós não fizemos nada.

Foi ele quem nos limpou, foi através dele que saimos de uma situação lamentável, foi através dele que fomos purificados, de dentro para fora. Foi por causa dele que temos uma nova vida.

Sabe qual é o nome disso? Graça

A palavra graça tem muitos sentidos, ela pode significar: graciosidade, atrativos, favor, cuidado, ajuda graciosa, boa vontade, bênçãos. Deus é o Deus de toda a graça. Deus constantemente tem cuidado de nós, Deus constantemente tem cuidado de nossas vidas, Deus constantemente tem cuidado de nossas famílias, Deus constantemente tem cuidado dos nossos sentimentos. Você tem passado por tristeza? Angústia? Sofrido por algo? Não se desespere, Jesus tem cuidado de você. Isso é graça! Descanse, confie.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *